domingo, 20 de agosto de 2017

KASSAIA E OS SEUS SÚDITOS

Kassaia, princesa linda e sensual, rodeada dos súditos,
Desfila, imponente, altiva, pelos corredores do palácio.
Quando passa, uma nuvem de perfumes pelo ar, sutil,evola
ondulando a túnica carmim, quando, o ar perfumado, a assopra.


Como, uma abelha rainha, a Princesa, se move dentre os salões
Do Palácio; absorta, sabendo que é, das amantes, a preferida,
Tanto dos imbatíveis guerreiros, quanto dos pobres bufões,
Que, imploram um olhar, um gesto, uma inocente carícia.


Porém, a despeito de ser requestada pela legião de admiradores,
Segue, indiferente, sabendo que, basta-lhe, apenas, um piscar
Dos belos olhos amendoados e enigmáticos, para desencadear


A subserviência, a entrega sem limites, dos fiéis esmoladores.
No palácio real, Kassaia, impera, sonhadora, uma joia ímpar,
Guardada e protegida, pelos súditos, numa redoma de vidro âmbar.

KASSAIA.... PRINCESA DA BABILÔNIA

Kassaia foi uma bela Princesa da Babilônia.
Ela, será minha musa por muitos poemas... Me esmerarei em fazer jus à sua beleza, inteligência e sensualidade.
Espero que este vate, tenha a inspiração divina, para representá-la, nos versos.
Sempre que necessário, trarei, Kassaia, em meus pensamentos e, num ato singelo, transportarei-a para o papel... O perigo: é me apaixonar por ela...
Será que, em outras vidas, mais precisamente na Babilônia, fui amante de Kassaia?
Em tempo: Na novela da Record : O Rico e Lázaro, a Princesa Kassaia é interpretada pela atriz Pérola Faria.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

OS SEIOS DE KASSAIA, SÃO DOIS PÁSSAROS, APRISIONADOS

Os seios de Kassaia, são dois pássaros APRISIONADOS
No recôncavo perfumado, macio e sensual, do belo sutiã.
Vivem mais guardados do que os tesouros ambicionados
Pelos reis da Pérsia, ou, pelas plebes... insanas.

Ás vezes, espreitam pelo decote, do ousado vestido vermelho,
Exitantes, de que, um caçador mais audaz, os cacem,
Tornando-os, escravos, a saciarem seus febris libidos,
Em noites de luxúria... em noites de loucos embates.


Quando, apalpados em ternas carícias, pelo amante contumaz,
Os pássaros-seios, se intumescem, marcando o tecido transparente,
Atraindo para si, os olhares lúbricos e a sanha perpicaz
Daqueles que,esmolando, contemplam, a forma, dos bicos frementes.


Mas, para mim, Kassaia, ofereceu-os, por um segundo apenas,
Para, que, neles, eu acariciasse o todo, morno, e perfumado.
Titubeante, acomodei os no bojo de minhas mãos...macias penas;
Pele alva e sedosa; seios pulsantes para minha boca... Ah! DESABRIGADOS!










terça-feira, 15 de agosto de 2017

QUANDO EU TE BEIJAR, ANA PAULA, EM UMA TARDE GRIS...

Quando eu te beijar, Ana Paula, em uma tarde gris,
Ouvirei os cantos maviosos dos pássaros tardios,
Que, em revoada, voltam, para o aconchego feliz
Dos ninhos, onde se unem, no roçar dos carinhos.

Quando eu te beijar, Ana Paula, em uma tarde gris,
Sentirei os teus cabelos sedosos em minha face afogueada,
Me acariciando,fustigados, pela aragem da brisa, que diz
O que minha alma deseja escutar: "Por ti, estou, apaixonada"!


Quando eu te beijar, Ana Paula, em uma manhã gris,
É, porque, tivemos uma noite de tresloucadas carícias;
De desejos realizados...de entregas tantas, e, lascivas.


Quando eu te beijar, Ana Paula, em uma manhã e, em uma tarde gris,
Sentirás de mim, o amor transbordar, em cascatas, de paixão.
Quando eu te beijar, Ana Paula,pela eternidade, ficarás, no meu coração.

O RAYBAN!

A bela mulher, sempre, de rayban, os olhos engmáticos,
Os escondiam; provocando em mim uma revolta inaudita,
Fazendo me possesso,mas, indiferente, o mantinha
Ornando o formoso rosto... um adorno incrustado.

Vezes, sem fim, tentei, dissuadi-la, de tamanha aviltes,
Porém, dela, só tive negativas, que, me faziam, desditoso.
Cheguei, quando no auge do ciúme, a fazer a desfaçatez
De tentar tirá-lo e, num rompante heroico, quebrá-lo.


Mas, pela minha sorte, quis ela, um dia, removê-lo da face,
E num átimo o colocou sob o colo... num gesto delicado.
Estupefato, contemplei os olhos: duas pedras de jade
Refulgentes, imersos, num oceano de infindos sortilégios.

No momento, senti o peito agoniado; um ciúme inexplicável
Se apossou de minha alma. O adorno, nela, fez-me sentir o afã,
De lhe suplicar... de lhe dizer, ser para mim, inexorável,
Esconder os olhos de outros olhos; usando, o místico RAYBAN!


segunda-feira, 14 de agosto de 2017

DE TI, ANA PAULA, ANSEIO, PELA BOCA, VOLUPTUOSA!


De ti, Ana Paula, anseio, pela boca, voluptuosa;
Oásis, onde saciarei, a minha sede de beijos.
Os lábios, tê-los-ei, como pétalas de rosa, veludadas,
E, será a minha "Caixa de Pandora", para meus desejos.

Serei peregrino faminto e sequioso, de beber em tua boca,
A seiva, do amor inexorável, que medrou em nossos corações.
Quando puder aprisioná-los, a minha boca, se fará algema
E, a chave, será atirada no abismo, de tantas desilusões.


Não me contentarei com míseros beijos, embora, tresloucados.
Deverás ser perdulária dos beijos que tua boca, oferece,
E, quando na entrega sublime, quando os lábios intumescem,


Farás de mim, um amante possesso, um homem agraciado,
Com o tesouro maior, da bela mulher...a boca carnosa...
De ti, Ana Paula, anseio, pela boca, voluptuosa!












sábado, 12 de agosto de 2017

O ENCONTRO



O encontro foi inevitável.
Os corações e as almas ansiavam em se conhecerem...
O fitar nos olhos se tornou inexorável,
O abraço terno fez os corpos tremerem.


O encontro não podia ser mais adiado.
Dias se passaram e a saudade atormentava...
Era um aguilhão a ferir o coração desperto,
Foi o momento em que TUDO (a alma), se rejubilava.


Olhos nos olhos, dois corpos...duas esperanças,
Entrelaçados pelos liames do amor inaudito.
No meu peito um corcel fogoso galopava,
Dela, raios de alegria, escapavam, aflitos.

No céu a Lua, enciumada, tentava se esconder,
Não querendo ser testemunha de um amor a germinar.
O breu da noite se fez nosso juiz; nosso viver,
E, nos acalentando, disse: É bom, muito bom, amar.


O encontro foi inevitável...